24 Agosto, 2017

Regulamento

REGULAMENTO DO ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE FÍSICA,

ELABORADO PELA PHYSIS

Artigo I
Generalidades
Um. O Encontro Nacional de Estudantes de Física, doravante designado apenas por
ENEF, é a conferência anual da Physis ‐ Associação Portuguesa de Estudantes de Física,
doravante designada apenas por Physis.
Dois. O ENEF é uma conferência científica, exclusiva a alunos do Ensino Superior,
aberta a todos os estudantes de Física das Universidades portuguesas.
Três. O ENEF é organizado em cada ano por uma Comissão Organizadora eleita na
Assembleia Geral ordinária da Physis do ano anterior, com o apoio da Direcção da
Physis.
Quatro. A língua oficial do ENEF é o português.

Artigo II
Objectivos e métodos
Um. O ENEF tem como principal objetivo proporcionar aos estudantes de física a
oportunidade de apresentar e discutir com os seus colegas do resto do país os
trabalhos ou projetos em que estejam envolvidos.
Dois. Neste âmbito, assume especial importância na componente científica do ENEF a
apresentação, por estudantes, de palestras curtas, avaliadas por um júri.
Três. O ENEF pretende igualmente constituir‐se como espaço privilegiado de convívio e
troca de experiências entre os participantes.
Quatro. A Comissão Organizadora do ENEF e a Direcção da Physis poderão, se assim o
entenderem, desenvolver outras atividades que considerem úteis à prossecução dos
objetivos do ENEF.

Artigo III
Comissão Organizadora
Um. A Comissão Organizadora será constituída por pelo menos 3 (três) associados da
Physis em pleno gozo dos seus direitos, de acordo com os Estatutos da Physis.
Dois. Os associados da Physis que pretendam constituir‐se em Comissão Organizadora
do ENEF do ano seguinte deverão apresentar uma candidatura à organização do ENEF
ao presidente da Mesa da Assembleia Geral da Physis até 2 (duas) horas antes da hora
marcada para a realização da Assembleia Geral ordinária da Physis.
Três. As candidaturas à organização do ENEF serão submetidas a votação na
Assembleia Geral ordinária da Physis, em ponto próprio da ordem de trabalhos,
vencendo a mais votada.
Quatro. Os proponentes da candidatura vencedora passarão automaticamente a
constituir a Comissão Organizadora do ENEF.
Cinco. Não havendo candidaturas à organização do ENEF, a Direcção da Physis
assumirá a responsabilidade de encontrar uma solução que viabilize a realização do
ENEF ou, em alternativa, constituir‐se‐á ela própria como Comissão Organizadora do
ENEF.

Seis. A Comissão Organizadora poderá, em coordenação com a Direcção da Physis,
admitir outros colaboradores e adaptar a sua estrutura às necessidades da organização
de um ENEF.
Sete. A Comissão Organizadora é responsável por toda a parte logística da organização
do ENEF, nomeadamente pela angariação de patrocínios e outros apoios, pela
alimentação e estadia dos participantes, pelos programas social, cultural e científico,
pela construção do sítio oficial do ENEF e pela elaboração do cartaz oficial do ENEF.
Oito. Caso os membros da Comissão Organizadora sejam externos à Direção da Physis,
o presidente da Physis ou um associado da Physis por ele designado, irá acompanhar a
Comissão Organizadora com atualizações mensais. Este membro irá facilitar a
comunicação entre ambos e apoiar a Comissão no que lhe for possível.
Nove. Depois da realização do evento, a Comissão Organizadora deve entregar um
relatório de contas à Direção da Physis. Os prejuízos serão suportados de forma
equitativa pelas duas partes.

Artigo IV
Datas, inscrições e prazos
Um. O ENEF deverá realizar‐se uma vez em cada ano civil.
Dois. A data de realização do ENEF deverá ser escolhida pela Comissão Organizadora,
com o acordo da Direcção da Physis, e divulgada, o mais tardar, até dois meses antes
do evento.
Três. O ENEF terá a duração mínima de 2 (dois) dias.
Quatro. Os prazos, formas e taxas de inscrição no ENEF deverão ser determinados pela
Comissão Organizadora, com o acordo da Direcção da Physis, e divulgados com a
devida antecedência, nomeadamente através do sítio oficial do ENEF. Sendo que a
taxa de inscrição dos sócios da Physis, com as quotas regularizadas, será no mínimo 5
(cinco) euros inferior à dos restantes participantes.

Artigo V
Palestras
Um. Os participantes no ENEF só poderão propor‐se a título individual a apresentar
palestras.
Dois. Os participantes que pretendam apresentar palestras deverão fazer chegar à
Comissão Organizadora do ENEF o título e o resumo da palestra, nos prazos e nos
moldes a definir pela Comissão Organizadora.
Três. Cada palestra terá a duração máxima de 15 (quinze) minutos, com 10 (dez)
minutos adicionais para perguntas e respostas.
Quatro. Caso o número de palestras propostas pelos participantes seja superior a 9
(nove), deve efectuar-se uma pré‐selecção dos trabalhos por uma Comissão Científica
constituída por pelo menos 2 (dois) doutores em física, convidados para o efeito pela
Comissão Organizadora, com o apoio da Direcção da Physis.
Cinco. A Comissão Organizadora não pode participar no concurso de palestras e todas
as palestras estão sujeitas à sua pré-aprovação.

Artigo VI
Júri
Um. O júri do ENEF será constituído por, pelo menos, três professores universitários ou
investigadores, doutores em física. Aconselha-se que pelo menos um membro do júri
seja externo à Universidade acolhedora do evento.
Dois. A escolha do júri é da responsabilidade da Comissão Organizadora e da Direcção
da Physis.
Três. As decisões do júri serão tomadas por maioria e dadas a conhecer em ocasião a
designar pela Comissão Organizadora, com o acordo da Direcção da Physis.
Quatro. Os resultados devem ficar registados num documento assinado pelos
elementos do júri e deve estar explícitos o primeiro lugar e um suplente. Esse
documento deve ser aprovado em assembleia geral da Physis.
Cinco. Das decisões do júri não cabe recurso.

Artigo VII
Prémios
Um. Caso o número de palestras apresentadas seja superior a 6 (seis), o júri deverá
escolher as duas melhores palestras, sobre física, a concurso, declarando‐as
vencedoras. De outra forma, apenas deve ser atribuído um prémio.
Dois. O júri poderá, se o entender, atribuir menções honrosas.
Três. Excepcionalmente, o júri poderá não atribuir qualquer prémio, se entender que a
qualidade das palestras a concurso não o justifica.
Quatro. O prémio a atribuir a cada uma das palestras vencedoras consiste no
pagamento de uma viagem para o local de realização da “International Conference for
Physics Students” (ICPS) desse ano e de uma inscrição na mesma.
Cinco. A Direcção da Physics responsabilizar-se-à
pelas despesas resultantes da atribuição dos prémios mencionados no
número anterior.
Seis. Os autores das palestras vencedoras deverão comprometer‐se a apresentá‐las na
ICPS.
Sete. A Comissão Organizadora do ENEF e a Direcção da Physis poderão, se o
entenderem, atribuir outros prémios ou alargar o âmbito do prémio principal.
Oito. O júri deverá ainda escolher a palestra que substituirá uma das palestras
vencedoras, no caso do autor desta última se vir impossibilitado de a apresentar na
ICPS.

Também disponível em versão PDF : Regulamento ENEF (ATUALIZADO ENEF’17)